O Palmeiras de todos os tempos

Uma das maiores tradições da Sociedade Esportiva Palmeiras é, sem sombra de dúvida alguma, o Basquete. Tradição, história brilhante e títulos marcam a modalidade do clube. Pela história do basquete Palestrino, já passaram dezenas de craques, para não dizer centenas. Preparamos o quinteto ideal do Palmeiras de todos os tempos. Confira:

Armador: Mosquito

Mosquito em destaque

Carlos Domingos Massoni, o Mosquito, foi armador histórico do Verdão no final de década de 50 e praticamente toda década 60. Extremamente veloz e ágil, o atleta chegou ao Palestra em 1958, ao lado de outros craques que fizeram história pelo alviverde (Peninha, Paulo Marcondes, Jatyr e Laerte Gomes). Pelo Palestra, o armador conquistou o tricampeonato Paulista (1958, 1961 e 1963); sendo que na primeira data foi de maneira invicta e contra o forte XV de Piracicaba de Wlamir Marques, Pecente e Waldemar.

Ala-armador: Carioquinha

Carioquinha, à esquerda (Foto: Gazeta Press)

Milton Setrini Júnior, o Carioquinha, foi atleta do alviverde no final da década de 60 e particamente toda de 70. Fez história no clube e foi um dos jogadores mais jovens a estrear no adulto do Palestra, com apenas 16 anos. Extremamente eficiente e rápido nas infiltrações e com bom arremesso, o ala conquitsou pelo alviverde os Campeonatos Paulistas de 1972 e 1974. Além disso, foi protagonista na maior conquista do basquete da Sociedade Esportiva Palmeiras, o Brasileiro (Taça de Clubes) de 1977, ao lado de nada menos do que Oscar Schmidt e Ubirantan Maciel. Em nivél de seleção, partcipou da última medalha em Mundial da Seleção Braileira. Conquistou o bronze da campeoanto em 1978, na Filipinas.

Ala: Rosa Branca

Foto: Acervo Histórico/Palmeiras

Carmo de Sousa, conhecido no basquete brasileiro como Rosa Branca devido à semelhança com um motorista de Getúlio Vargas, ex-presidente do Brasil, exerceu todas as posições no basquete (armador, ala e pivô) e , indicultivelmente, é ídolo do alviverde imponente. Em 1958, assinou com o Verdão e iniciou sua trajetória vitoriosa nas instalações do Palmeiras, clube conquistou seus primeiros títulos expressivos, como o Paulista de 1961 e 1963.

Ala-pivô Oscar Schmidt

Foto: Acervo Histórico/Palmeiras

Oscar Daniel Bezerra Schmidt, o ”Mão Santa”, foi um dos maiores atletas do basquete barsileiro. Dono de um exímio arremesso, Oscar, em 1974, aos 16 anos de idade, mudou-se para São Paulo, para iniciar sua carreira no infanto-juvenil do Palmeiras. No Palestra, rapidamente se destacou, sendo convocado para a seleção juvenil de basquete, em 1977, ano que ainda conquistou o Brasiliero sob comando de Cláudio Mortari. Ainda em 1977 , foi eleito melhor pivô do sul-americano juvenil e, com isso, garantiu vaga na seleção principal, com a qual foi campeão sul-americano e ganhou uma medalha bronze no campeonato mundial das Filipinas, em 1978. 

Pivô: Ubiratan Maciel

Foto: Gazeta Press

Melhor pivô da história do basquete brasileiro, Ubiratan Pereira Maciel, conhecido por Bira ou Cavalo de Aço, defendeu o alviverde de 1974 a 1978. No período em que jogou pelo Palestra, faturou o Paulista de 1974 e o Brasileiro de 1977.

Técnico Cláudio Mortari

Equipe juvenil do Palmeiras de 1975 comandada por Mortari

Cláudio Mortari começou sua carreira como jogador basquetebol na base Palmeiras na década de 60, com apenas 11 anos. Jogou no alviverde até os seus 25 anos, mas foi como técnico que fez história no clube. Após encerar o ciclo como atleta com apenas 25 anos, em 1973, virou treinador do Palestra.
Em 1975, dirigiu Oscar na equipe juvenil e dois anos depois, levou o alviverde para a maior conquista de sua história na modalidade: o título Braisleiro de 1977.

Muitos outros fizeram história no Verdão e, com toda certeza, merecem menção honrosa. São eles: os armadores Maxi Stanic, Edvar Simões, Álvaro Pacheco, Yago Mateus, Paulinho Villas Boas; os alas Leadrinho Barbosa Cadum e os pivôs Edson Bispo, Laerte Gomes, Pipoka e Tiagão, entre outros nomes.

Um comentário sobre “O Palmeiras de todos os tempos

  1. Belissima Seleção!!! Só craques. Agora, se me permite, segue a minha: Oscar Paolillo (1), Jathyr (2), Edson Bispo (5), Carioquinha (3), Ghermann (4). Técnico: Mario Amancio Duarte. Só o Carioquinha em comum. Todos ai com uma década de Palmeiras, no minimo, exceto o Ghermann.

    Grande Abraço e SEMPRE PALESTRA!

    Curtir

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s