59 vitórias seguidas e cinco títulos, conheça a geração que fez história no basquete do Palmeiras

Na década de 30, a equipe profissional de basquete da Socieade Esportiva Palmeiras chamou a atenção com um feito histórico. O time ficou conhecido pelo nome de ”Invecíveis” pela expressiva marca de 50 jogos seguidos sem saber o que é perder entre 1934 a 1936. Tal hegemoia coroou que a equipe do Verdão representasse a Seleção Brasileira no Campeonato Sul-Americano de 1934, disputado em Buenos Aires, Argentina, e terminasse na terceira colocação. 78 anos após esse gigante feito, outra geração marcou história no basquete do Palestra, mas nas categorias de base. Durante 2012 e 2014, o time de nascidos em 1999 ficou cravado na história e consegiuiu a expressiva marca de 59 jogos de invencibilidade do Sub-13 ao Sub-15 e conquistado cinco títulos.

Por dois anos seguidos os “Invencíveis” representaram a Seleção Brasileira em Campeonatos Sul-Americanos (Palmeiras/Divulgação)

O início da trajetória:

Tudo começou no dia 18 de dezembro de 2012, data da primeira vitória do período invencibilidade. O duelo foi diante o Nosso Clube de Limeira, válido pela segunda partida da final do Campeonato Estadual Sub-13. O time, na época , dirigido por Willians Manzini, triunfou por 50 a 41 e levou a decisão ao terceiro confronto, já que havia perdido o primeiro. No dia seguinte, novamente em casa, o Verdão sagrou-se campeão ao vencer por 70 a 40 e conquistar o primeiro títúlo da série invicta. Vale ressaltar que neste ano o Palmeiras sagrou-se campeão com o mesmo time pelo campeonato da Grande São Paulo (GSP), porém não de maneira invicta.

Título do Estadual Sub-13 (Foto: Reprodução/Facebook)

Dose repetida:

No ano seguinte, em 2013, o Palestra repetiu a dose, mas desta vez sob comando do Hebert Coimbra, o Betão. Com uma campanha avassalora e com grande destaque do trio Yago Mateus, André Ballas (capitão) e Wayk, o Palestra praticamente não foi ameaçado no ano. A vitória mais “difícil” foi contra São José dos Campos por uma diferença de quatro pontos. Na decisão do Campeonato da Grande São Paulo, o alviverde superou o Pinheiros por 63 a 31. Com 19 pontos, Yago foi o cestinha do jogo. Já na final do Estadual, o Verdão repetiu o feito do ano anterior e suplantou o Nosso Clube Limeira. Betão, técnico da equipe, relembrou o feito ”Eu tenho uma lembrança muito boa daquele título da GSP. Enfrentamos o Pinheiros na final, uma forte equipe, que jogava um bom basquetebol e nós conseguimos ser campeões ao vencer por mais de 30 pontos (63 a 31). Foi emocionante”.

Da esquerda para direita: Wayk, Yago e André (Foto: Fabio Menotti/Ag.Palmeiras/Divulgação)

Reforços, fim da ivencibilidade e o troco:

Em 2014, o alviverde se reforçou para o Sub-15 o elenco que já era extremamente forte e qualificado. Chegaram o ala e ótimo arremessador Matheus ”Varejão, o ala-armador Guilherme Perini ”Goiânio” e o extremamente técnico pivô Felipe Fraga. Com uma campanha extremamente imponante, o Palmeiars esteve mais uma vez sob os holofotes. As boas atuaçõs da equipe levaram o trio Yago, André Ballas, Wayk serem convocados para a Seleção Paulista no Brasileiro da categoria no mês de agosto. De maneira invicta e com Yago como MVP, o selecionado de São Paulo sagrou-se campeão sob comando de Willians. Após a volta do quarteto, o Palestra alcançou outra marca impressionante: no dia 6 se setembro, o alviverde superou a Liga Sorocabana por 104 a 36 e ainda rompeu a barreira dos 4000 pontos com cesta de Wayk. “Foi incrível! E mais legal ainda por fazer os 4001 pontos. É um sonho realizado entrar para a história do Palmeiras”, comentou Wayk. Após o termino da Fase de Classificação e com o Verdão em primeiro lugar com uma campanha sem derrotas, o plantel de Willians teve o direito de sediar o quadrangular final no Ginásio do Palestra Itália. Nessa etapa da competição, o time alviverde venceu São Caetano e Barueri por 94 a 51 e 87 a 58, respectivamente, com Yago sendo cestinhas dos dois jogos. Anotou 27 pontos contra Barueri e 24 contra São Caetano. Na decisão, contudo, o baque chegou ao time que fez história. Em um jogo extremamente dipustado e drámatico, o Palestra foi superado pelo Pinheiros por 61 a 57, perdendo a invencibilidade que durou mais de dois anos e 59 jogos. Yago, novamente, foi o cestinha da partida (27 pontos). No total, os palestrinos terminaram a competição com 2299 tentos feitos (85,1 de média) e 1250 sofridos (46,2). Depois da inesperada derrota, o Palmeiras teve a chance de dar o troco no Estadual. Na ocasião, sem dar chances ao rival, impôs o ritmo de jogo, derrotou o Pinheiros por 67 a 49 no Ginásio Azul, caso do adversário, e assegurou o título de forma invicta, com três vitórias. Essa foi a terceira conquista estadual desse grupo de garotos, vitoriosos em 2012 e em 2013. Vale ressaltar que o Estadual foi composto pelos dois primeiros colocados da GSP (SEP e Pinheiros) e os dois do Interior (Aspa/Franca e Nosso Clube de Limeira). Todos enfrentaram todos, e o Alviverde ficou com o ouro ao passar por cima também dos outros dois adversários (68 a 56 nos francanos e 71 a 63 nos limeirenses). “Estava engasgado. Nós sabíamos que tínhamos a melhor equipe. Tivemos uma derrota na final da GSP contra eles, não jogamos bem, mas nós tivemos de buscar forças e vir conquistar aqui no Pinheiros. A equipe voltou onde sempre esteve, que é no primeiro lugar. Eu fico orgulhoso desses meninos, que começaram comigo lá atrás e agora são tricampeões estaduais. É uma sensação indescritível, e estão todos de parabéns”, disse o técnico Willians Manzini.

Comemoração após o título do Estadual (Foto: Divulgação)

A continuidade da geração:

Nos dois anos seguintes, o alviverde passou por uma reformulação em seu time. Além disso, os rivais se reforçaram e, apesar disso, o Palmeiras ainda se manteve entre as maiores forças e foi vice-campeão Estadual Sub-16 e Sub-17 contra o Sesi e Pinheiros, respectivamente.

Números impressionantes:

O triunfo mais elástico da geração 99 aconteceu em junho de 2013, na vitória por 122 a 14 sobre o Banespa, no Palestra Italia, pela primeira fase da Grande São Paulo. Esse também foi o confronto com menos pontos sofridos. Já o confronto em que mais pontuaram foi contra a Liga Sorocabana ( 132 a 29), no turno de ida do Metropolitano do Sub-14. Por fim, o placar mais acirrado ocorreu pela GSP de 2013 (81 a 76 sobre o São José), pela segunda fase da competição.

Confiras os jogadores da geração do Palestra:

Armadores: Yago Mateus, Vinicius de França, Thiago Costa, Michel Texeira;

Alas: Arthur Carnevale, Arthur, André Ballas, Guilherme Perini, Matheus ”Varejão”, Matheus Ormeni, Matheus Vicente, Yan Leandro, Bruno Pinheiro;

Pivôs: Caio Henrique (Codzilia), Felipe Fraga, Danilo, Nicolas Oliveiras, Patrick (Babby) , Vinicius Soares, Rafael e Victor Azevedo

Seguiram Carreira:

Dos atletas que fizeram parte da geração mais do que vitoriosa, apenas dois seguem jogando profissionalmente. São eles: Yago Mateus (Paulistano) e Nicolas Oliveira (Blackstar). Além deles, outros dois atuam pelo basquete universitário: Felipe Fraga joga pela Medicina Taubaté e Anfré Ballas pela Poli-USP.

Felipe à esquefa e André à direita

Um comentário sobre “59 vitórias seguidas e cinco títulos, conheça a geração que fez história no basquete do Palmeiras

  1. Nos anos 70 também tivemos uma dinastia de invencibilidade. Time comandado por Wlamir Marques. Essa épica, assim como as citadas, também entraram para a história palestrina como “Invencíveis”, denominação da crônica esportiva da época e da torcida alviverde. Abração e SEMPRE PALESTRA!

    Curtido por 1 pessoa

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s